Thursday, July 29, 2010

Inception

Quer os ”pseudo-intelectualoides bebedores de chá na esplanada da Cinemateca” queiram, quer não, os novos grandes filmes do cinema estão a ser também blockbusters. O cinema mudou. O cinema para as grandes massas já não é apenas vazio, oco e fútil. Tudo começou com Hitchcock e, o último grande exemplo disso é Christopher Nolan. O cinema de autor também vende bilhetes, senhores realizadores portugueses.

O cinema de autor está a ter orçamentos grandes, explosões e a agradar a muita gente. O cinema que está a mudar a história do cinema está, além de fazer amor e miminhos com a nossa exigente intelectualidade, a agradar visualmente. Entretêm, além de nos surpreender, hipnotizar e rejuvenescer.

Para falar de “Inception” quero ir buscar o “Matrix”. Na minha opinião, “Matrix” é o filme mais importante dos anos 90. Sim, eu lembro-me do “Titanic” e do peso que teve mas foi o filme dos irmãos Wachowski que mostrou ao cinema, uma nova linguagem, um novo estilo, um novo caminho. O "Titanic" só pôs adolescentes a chorar compulsivamente, não mudou nada a não ser a carreira dos protagonistas.

O “Matrix” redefiniu a maneira de se contar histórias tendo em conta a componente visual. Porque, porra, é importante. É cinema, de que estamos a falar! É um ecrã gigante, convém que seja atractivo além de bom. Nesta década em que estamos, que filme fez isso? O “Avatar”? O “Avatar” fê-lo apenas em termos técnicos. Tem essa importância, de facto, mas sem chegar ao patamar da história e da emoção. Matrix tinha tido isso. 11 anos depois, aparece-nos “Inception”, um filme que volta a vincar os dentes no lombo da história do cinema.


Tal como “Matrix”, “Inception” é novo, original e comercial. É uma lufada de ar fresco que demonstra que o cinema não morreu. Que ideias originais, boas e megalómanas podem chegar a grandes ecrãs e redefinir a maneira como o cinema vai ser feito. (Mesmo tendo em conta que aqui se inventa mais que no Matrix, altamente baseado no “Ghost In A Shell”).

Não vou falar da história. Porque o meu blog é pequeno e porque ela tem de ser acompanhada (e bem acompanhada) pelo espectador na sala. Vou dizer que é O meu tipo de histórias. Os meus filmes favoritos são “Fight Club”, “Memento”, “Eternal Sunshine Of The Spotless Mind”, “Oldboy” e “Shutter Island”. O que têm em comum? A exploração das capacidades, defeitos e virtudes da mente humana. E “Inception” mexe-se nessa praia. Mas num canto dessa mesma praia onde ninguém ainda pisou areia.

Ontem sai da sala com a mesma cara de parvo, no mesmo estado de choque, que sai dos melhores filmes da minha vida. Ontem sai da sala de cinema com o mesmo “gostinho” na boca dos filmes mais importantes da minha vida. Sai da sala de cinema contente por saber que o cinema ainda pode ser original no meio de um mar de remakes, sequelas e chicletes coladas em tampos de cadeiras. Sai do cinema sabendo que ainda há génios que vão ficar na história da sétima arte. Sai do cinema com a consciência de que Nolan me tinha implantado uma ideia no subconsciente (quando sabemos que uma ideia pode mudar a maneira como nós somos...)

Se eu gostei de “Inception”?
É o tipo de filmes que me levou a estudar cinema.
É o tipo de filmes que me levou a querer escrever para saborear a vida.

Wednesday, July 28, 2010

36% dos adultos admitem ter sido infiéis pelo menos uma vez

ESTUDO RECENTE/GF – Se em Dezembro acaba o ano, em Setembro acabam as férias e em Maio acaba o futebol, em Agosto é quando acabam as relações amorosas. Na altura do ano em que mais pessoas mudam o seu facebook de “in a relationship” para “single”, fique sabendo que 36% dos adultos admitem ter sido infiéis pelo menos uma vez na sua vida.
Aparentemente, no que toca à guerra dos sexos, 21% dos homens já traiu a companheira enquanto que apenas 11% das mulheres o fizeram ao seu parceiro, dando assim razão não só a mais de metade das cartas recebidas pela “Revista Maria” como à existência do “Clube das Virgens”. Quanto a idades, parece que quanto mais velho, pior é: dos 18 aos 29 (8% já traíram); dos 30 aos 39 (11%); dos 40 aos 49 (15%); e os acima dos 50 (21%). A seguir-se esta tendência, estamos em crer que os lares de terceira idade são bons locais para se fazerem orgias tresloucadas. No que toca às razões apresentadas para as traições 45% dos inquiridos disseram ser por “insatisfação física”, 33% por “insatisfação emocional” e os restantes porque tinham “ali um espacinho na hora de almoço”. Fique ainda sabendo que é mais comum ser-se traído com pessoas acabadas de conhecer, colegas de trabalho e vizinhos. Por isso, se a sua cara-metade lhe disser que acabou de conhecer um colega de trabalho que se vai mudar para o seu prédio, é altura para ficar preocupado com a sua relação.

As seen on O Indesmentível.

Tuesday, July 27, 2010

Vox Pop (São Luiz Edition)

Nos passados dias 9, 10, 16 e 17 de Julho o programa que escrevo no Canal Q, o "Caça Ao Cómico", teve uma edição ao vivo, apresentada pelo Rui Unas.

Além do ser argumentista do programa fui também do espectáculo. Não só co-escrevi o sketch que vão ver de seguida, como andei a entrevistar os juris e os concorrentes, minutos antes de subirem a palco.

Vejam como se faz pouco de pessoas nervosas, e se tem prazer nisso...

Sketch e Entrevistas 1ª Noite


Entrevistas 2ª Noite, 3ª Noite e Juris

Monday, July 26, 2010

“Achas Que Sabes Dançar?” acaba sem uma resposta concreta

SABES OU NÃO?/GF – Depois de 4 meses de programa, 9 galas e milhares de castings, o programa “Achas Que Sabes Dançar?” chega ao fim sem que nenhum dos concorrentes responda à pergunta do título de forma concreta, perceptível ou audível.
“Este raio destes putos insistem em dançar. Há semanas e semanas que me dançam pelo estúdio fora! Nós só fizemos uma pergunta, não mandámos ninguém vestir um maillot!” disse o apresentador João Manzarra. Assim sendo, “Talvez”, “Depende dos dias” e “Quando bebo começo a achar que sim” foram as melhores respostas que a produção conseguiu dos milhares que passaram nos castings. Havia rumores de que o Marco, um dos 4 finalistas do programa e vencedor do programa, teria respondido que “sim” à grande pergunta do programa mas depois percebeu-se que ao mesmo tempo lhe tinham perguntado se ele queria “salada com o jantar?” e a produção perdeu a esperança. A Endemol, produtora do programa, acha que o problema é do povo português e vai reduzir o nível de dificuldade dos seus concursos em edições seguintes. Em 2011 estrearam em horário nobre da televisão portuguesa o “Achas que sabes contar até 5 sem ajuda?” e o “Achas que sabes apertar os teus sapatos em menos de 4 horas?”.

As seen on O Indesmentível.

Thursday, July 22, 2010

Tomai e vede, que este é o meu vox-pop

Cá está mais um Inimigo Público Tv, desta feita o episódio nº12.

Neste escrevi algumas one-liners no início, o sketch sobre as variadas utilizações de uma vuvuzela depois do mundial e, no fim do programa, está um vox-pop louco sobre as férias dos portugueses este verão.

Fiquem sabendo que a vossa sorte é não andarem pela Baixa, senão já se tinham visto neste programa.



Relembro que em http://www.canalq.pt/ estão todos os episódios deste e de outros programas do canal que me emprega.

Picado vs "A Origem"

“A Origem” – …de muitas horas mal dormidas

CONTRA PICADO/GF – Já vos aconteceu adormecerem a meio de um filme no cinema? É tão bom quando o filme é mau, não é? E pensar que há quem pague centenas de euros por um quarto de hotel quando por 5 euros, a cinematografia americana já me ajudou mais com as minhas horas de sono que toda a gama de produtos da Xanax. No entanto, adormecer a ver “A Origem” é demasiado confuso e pode mesmo ser perigoso para a nossa saúde. “Passar pelas brasas” a meio de um filme sobre sonhos é como sentirmos a necessidade de nos despirmos enquanto assistimos a um striptease: quando acordamos estremunhados, é complicado saber quem estava a fazer o quê a quem. E de quem é aquela baba. Eu honestamente, acho que o objectivo de Christopher Nolan era mesmo adormecer o espectador e hipnotizá-lo com mensagens subliminares sussurradas de trás para a frente por Leonardo DiCaprio, para que quando acordasse, sentisse que não perdeu os 5 euros que pagou pelo bilhete.
O plot é tão complicado e desconexo como um discurso do Primeiro-Ministro na Assembleia, e o espectador ou adormece ou fica a precisar de terapia freudiana de último grau. É como quando um computador fica lento: o utilizador pode optar por desligá-lo imediatamente ou passar umas horas com vontade de bater em alguém. Se fazem questão de ir ver o filme, capacitem-se que acompanhar “A Origem” é tão produtivo como caçar gambozinos, com GPS, caçadeira e um técnico especializado em zoologia que partilha connosco droga marroquina. Mas é incrível com o filme resulta: fiquei com pesadelos e tenho a absoluta consciência de qual é a sua “Origem”.No que toca ao meu conselho cinematográfico de hoje, fiquem conhecendo Leia Sacra Putre. Directamente vinda do Congo, esta realizadora totalmente gaga criou um novo tipo de arte visual. Inspirada pela sua gaguez, Leia está a fazer o mesmo filme há 28 anos sem que o consiga terminar. A autora está encravada na 23ª cena do seu filme, sem conseguir mudar de plano. O filme já tem 197602 horas gravadas, em que os actores repetem incessantemente o mesmo diálogo sem conseguir terminá-lo. Espera-se que “A love that nev… nev… nev…” esteja terminado antes de 2020.

Wednesday, July 21, 2010

32 mil pessoas passaram pelo último dia do “Super Bock Super Rock”

ESTUDO RECENTE/GF – Este passado domingo, cerca de 32 mil pessoas deslocaram-se ao Meco não para ver Prince tocar ao vivo no recinto, mas sim para ouvir Prince sentados no carro, parados na fila de trânsito.
“Isso de ver Prince ao vivo já toda a gente fez… agora, estar sentado no carro a metros de distância do recinto, a ouvir Prince porque o vento está a soprar na nossa direcção, isso sim é original!” comentou Jorge Carreira, um jovem que confessou ao nosso jornal apenas frequentar festivais para coleccionar pulseiras. Com 4 pessoas a olhar para si, Prince tocou uma música com a fadista Ana Moura, naquele que foi o momento da noite que deixou todos os festivaleiros a pensarem se aquilo era mesmo o Prince a tocar fado ou se teriam abusado da droga que compraram em Almada. De resto, o festival Super Bock Super Rock ocorreu sem grandes incidentes e com a afluência esperada pelos organizadores, que comentaram a’O Indesmentível: “Estamos felizes porque podemos ter aqui ou 32 000 pessoas ou 17, mas com esta escuridão e este pó todo é complicado agora estar a contar”. Quem também ficou satisfeito com o festival foi toda a ordem médica especializada em “otorrinolaringologia” que terá de limpar o pó das fossas nasais de 32 mil pessoas.

As seen on O Indesmentível.

Monday, July 19, 2010

Benfica contrata o ex-guarda-redes do Flamengo Bruno para substituir Roberto

JAIL BAIT/GF – Devido às fracas exibições do novo guarda-redes do Benfica Roberto, o clube encarnado já tomou medidas e decidiu fazer o que mais gosta: compras na América do Sul. No topo da lista estava Bruno, o guarda-redes que está preso porque fez à amante o que o Roberto anda a fazer à confiança da defesa benfiquista.
Com milhares de adeptos do Benfica a reivindicarem que “8 milhões e meio de euros por uns frangos é caro demais quando se podem comprar na Valenciana a 12 euros o par” o Benfica resolveu substituir o recém adquirido Roberto pelo recém enclausurado Bruno, ex Flamengo. Apesar de preso por muito tempo, o Benfica quis comprar o jogador porque, segundo Jorge Jesus, “mesmo numa prisão no Brasil, Bruno consegue defender melhor a baliza benfiquista que Roberto entre os postes, em campo.” Rui Costa reforçou a escolha de Bruno lembrando que “a liga portuguesa precisava de alguém que fosse quase tão agressivo como o Bruno Alves”. Esta compra do Benfica entra assim para a história porque, pela primeira vez no futebol, um jogador é transferido não de um clube para outro mas de uma instituição prisional para um clube.

As seen on O Indesmentível.

Para o Vaticano, não lavar as mãos depois de urinar é crime tão grave como a pedofilia

HOLY SHIT/GF – Num documento divulgado na última quinta-feira, o Vaticano reviu a lei canónica e colocou ao mesmo nível dos padres pedófilos a ordenação das mulheres como padres e as pessoas que depois de fazerem xixi “nem sequer passam as mãos por água”.
Com a aprovação geral destas novas leis canónicas, uma “tentativa de ordenação de uma mulher” como sacerdote da Igreja e uma ida à casa de banho sem uma “ensaboadela vigorosa dos membros superiores” são agora considerados delitos graves. Um porta-voz do Vaticano justificou esta alteração da lei canónica dizendo que “tudo bem que a pedofilia é uma coisa pouco elegante, mas há outras bem piores e mais badalhocas.” O mesmo documento contém ainda outros delitos considerados tão graves como a pedofilia, a heresia ou o cisma, como: tirar macacos do nariz no trânsito; limpar as orelhas com a unha do mindinho; fazer “palito hidráulico” depois de almoçar; e ainda comer a última fatia de pizza sem perguntar se “mais alguém quer comer”.

As seen on O Indesmentível.

Friday, July 16, 2010

Há ideias boas demais?

Nas aulas de argumento disseram-me que uma boa ideia é "desdobrável".
Nas aulas de escrita de humor disseram-me que uma boa ideia "dava pano para mangas", que as melhores premissas são aquelas que têm mais por onde trabalhar e explorar.
A experiência depois confirmou, mostrando-me que uma "ponta por onde se lhe pegue" é aquela que cria espaço para variações, inversões, conclusões e suposições.

Agora pensem nesta ideia: imaginem um mundo onde ninguém mente. Toda a gente diz a total e bruta verdade. Até que um homem mente pela primeira vez.

Esta é a premissa de "The Invention of Lying", um filme escrito e realizado por Ricky Gervais e Matthew Robinson, que juntos provam que ainda é possível ter boas ideias. Que o cinema não tem de ser apenas sequelas de sequelas de remakes de ideias antigas com actores novos.

No entanto, o filme não consegue chegar ao nível da ideia. Tem problemas de ritmo, de dramatismo e - infelizmente porque sou o maior fã dele - o Ricky Gervais não consegue aguentar um papel dramático durante uma hora e meia. E "Ghost Town" tinha sido o primeiro aviso.

A verdade é que quando tem de se passar da "boa ideia" para a "narrativa", a sátira à Igreja é boa, a qualidade do humor é irrepreensível mas a história de amor é banal.

O filme vale a pena ser visto porque a ideia é excelente; porque tem fantásticos momentos de humor; porque tem uma boa camada de sátira sobre a moral e os bons costumes; e porque é uma boa lição sobre "como esmiuçar uma excelente ideia". Mas não é uma obra prima. É divertido, bem conseguido mas, infelizmente, é um daqueles casos em que a ideia era simplesmente boa demais.
Fiquei desiludido pelo que a premissa prometia mas o resultado final não deixa de funcionar. Talvez a ideia seja tão boa que na cabeça de quem a ouve, resulte sempre melhor do que numa tela de 7 metros e meio por 18.

Apenas uma menção para o role de actores que fazem cameos neste filme. De Edward Norton a Philip Seymour Hoffman, passando pela Tina Fey e pelo Louis C.K., há todo um vasto leque de celebridades que, durante alguns minutos, dizem javardice em barda.

Thursday, July 15, 2010

Picado vs Tom cruise e Cameron Diaz

“Dia E Noite” – Um filme com uma dupla de actores que nem um polvo podia adivinhar que se iam juntar

CONTRA PICADO/GF – Este filme é capaz de perigoso para a saúde do espectador mas não porque esteja desfocado ou com o som alto demais. É apenas porque ver Tom-a-Cientologia-está-de-férias-Cruise e Cameron-estou-farta-de-ser-a-voz-de-uma-ogre-verde-Diaz no mesmo espaço durante hora e meia seguida é capaz de causar danos neurológicos. É uma dupla tão improvável como Miguel Sousa Tavares e Zezé Camarinha ao engate numa praia do Algarve. E produz exactamente o mesmo vómito surpresa no interior da nossa boca, que discretamente temos de engolir sem que ninguém à nossa volta repare. O Tom Cruise é um homem que devia estar na sua casa a tentar comunicar com extra-terrestres – ou como ele lhe chama: “rezar” – não era a disparar armas. A Cameron Diaz devia estar na sua casa sentada, quieta, no seu sofá – ou como eu lhe chamo: “descanso” – não era a gritar durante uma hora seguida.

Um filme de acção e comédia com estes dois é uma ideia tão non-sense que parece um sketch dos Monty Python reescrito por um veterano de guerra com problemas mentais. E se vão à espera de mensagens inteligentes e lições morais profundas, esqueçam. 109 minutos disto tem o mesmo impacto intelectual que 109 minutos a tirar macacos do nariz com uma vuvuzela. No fundo, “Dia E Noite” é como uma lapdance de uma romena no Cais do Sodré: vazio, mecânico, triste e demasiado caro para algo que o pode infectar para sempre.Em relação ao meu conselho cinematográfico desta semana, quero mencionar um maravilhoso filme espanhol, de um realizador chamado Paco Pado Dado, que trouxe ao mundo “El Beso De La Palavra”. Durante uma hora e meia, um fanhoso lê haikus japoneses na estação de metro de Barcelona. Sem que ninguém pare para o ouvir, o fanhoso divaga sobre temas como a “vida”, o “arroz” ou “como é difícil arranjar um táxi em Tokyo depois das 23h”, sem que saiba o que está a dizer, porque não fala japonês. Uma maravilhosa dissertação visual e literária sobre a linguagem, a sociedade e os taxistas que fazem pausas longas demais para jantar.


Wednesday, July 14, 2010

70% dos homens pensa em sexo todos os dias

ESTUDO RECENTE/GF – O homem normal pode esquecer-se de obrigações de trabalho, de aniversários de familiares ou até do nome de alguns dos filhos mas parece que se se cruzar com a nova estagiária da empresa, lembra-se imediatamente de tudo o que lhe fazia com uma lata de chantilli.
Um estudo americano revelou que 70% dos homens pensa em sexo todos os dias, numa dedicação que lhes tira 365 dias por ano, sem férias, pontes ou feriados. Por oposição, apenas 34% das mulheres pensa em sexo todos os dias, número este que subiu para 100% no dia em que Casillas beijou a namorada em directo. E porque durante 8 horas por dia o homem está no emprego, 34% dos homens confessa visitar sites pornográficos com regularidade, 23% dos quais no emprego. Já no caso das mulheres o número é praticamente nulo, porque 42% acham que visitar um site pornográfico é “trair o namorado”. Ao saberem disto, vários homens telefonaram imediatamente às suas mulheres para lhes dizerem que as andam a trair com 2, 5 ou até mesmo 40 mulheres ao mesmo tempo, em várias línguas, países e sites diferentes. Em termos práticos, estes valores concluem que um homem pensa em sexo a cada 52 segundos, ou seja, se uma mulher mantiver uma conversa de 1 minuto com o seu patrão já tem motivos para o processar por “assédio sexual”.

As seen on O Indesmentível.

Monday, July 12, 2010

Milhares de Holandeses esquecem-se de ver a final do Mundial devido ao consumo de drogas leves

MUNCHIES/GF – Apesar da FIFA defender que a final de ontem do Mundial entre a Espanha e a Holanda foi o jogo de futebol mais visto de sempre, há milhares de Holandeses que fumaram drogas leves e por isso se esqueceram de vestir calças e de ver o jogo da sua selecção.
Ao passear pelas ruas de Amsterdão é fácil perceber que há milhares de Holandeses que não se lembraram de ver o jogo ontem. “Epá! Julguei que era hoje! Eu às quartas-feiras ando sempre com a cabeça no ar, pá…” disse Joan VanScronelberg antes do repórter lhe explicar que era segunda-feira. Mas nem todos os Holandeses se esqueceram do jogo. Houve quem tenha marcado presença em frente à televisão para ver a final, mas tenha comido Space Cake horas antes. Estes holandeses disseram a’O Indesmentível que estavam a gostar de ver o jogo até “aparecer aquele grilo azul que comeu a cabeça da Rainha Vitória, mais ou menos na mesma altura em que o árbitro parou de surfar na bola gigante feita de algodão doce.”

As seen on O Indesmentível.

Friday, July 09, 2010

"Caça ao Cómico" ao vivo

Nos dia 9, 10, 16 e 17 de Julho o programa "Caça Ao Cómico", que escrevo no canal Q, vai dar o salto para o jardim de Inverno no São Luiz.

Vão ser 4 datas, 18 comediantes a estrear, 2 antigos vencedores, 3 sketch's e 1 Rui Unas como apresentador, tudo misturado num espectáculo escrito por mim e pela grande Joana Marques.

Passem por lá.
Os bilhetes são 7 euros;
A diversão é impagável;
A desculpa pode ser "porque não arranjei bilhete para o Alive" que nós não nos importamos.

Têm todas as informações aqui.
Vinde. É às 23.30h.

Thursday, July 08, 2010

Laboratório de Comédia #7

Chega.
Parem de falar do Alive.

Hoje não é "dia de Alive". Hoje é dia de "Laboratório da Comédia" no bar o século, na rua do século.

O "Alive" é para groupies, drogados e meninos.
O "Laboratório da Comédia" é para gajas boas, comediantes e, pronto... renegados do Alive.

Temos estreantes, veteranos, gente bonita, gente assim-assim e ainda... eu, como apresentador.

Apareçam, sim?
Às 23 horas.

Picado vs Shrek

O Rafael foi ver o novo Shrek.
Acho que as férias de verão lhe vão fazer bem...

“Shrek Para Sempre!” – … ou uma crise de meia-idade trocada por miúdos~

CONTRA PICADO/GF – Ele é verde, porco, anti-social, tem um amigo irritante, um gato passivo-agressivo como animal de estimação e uma mulher travestida. Se ainda não percebeu que estou a falar de Shrek e julgou que era mais um desenvolvimento no caso “bebé do Ronaldo”, é porque ainda não fez o luto pela morte do “24 Horas” como deve de ser. Shrek é um antipático monstro verde que começa sozinho e embirrante e acaba casado e embirrante. No fundo, acompanhar a saga de Shrek é como ver aquele vosso tio afastado jantar no dia de natal, mas com um grave problema de pele. Depois de casar, ter filhos e ficar rei chega o 4º capítulo da história: Shrek tem uma crise de meia-idade e repensa toda a sua vida. E se no mundo da fantasia não se pode encornar a mulher com uma universitária e trocar o carro de um Fiat para um Mercedes, tem de se fazer pactos mágicos com anões. Sim, com anões.
“Shrek Para Sempre” é o primeiro filme para crianças a retratar uma crise de meia-idade, ultrapassada à base de drogas duras e contactos no submundo do entretenimento de cabaret. E por muito que digam que este é o “último capítulo” da saga, sabemos bem que podemos esperar um “Shrek 5: quando o Viagra começa a ser a única solução”, “Shrek 6: a reforma é para todos” e o “Shrek 7: internado num lar porque já não consegue cagar sozinho”. Quer mesmo levar o seu filho a ver isto? Será que lhe interessa mesmo a crise de meia-idade de uma personagem de animação verde? Ele não vai saber lidar com temas tão adultos. Lembre-se que para o seu filho, “crise de meia-idade” é apenas uma palavra cara que descreve o momento em que lhe disse “filho, o papá não dorme em casa há duas semanas porque está a comer a secretária do emprego dele”. Poupe-o a tal espectáculo. A quadrilogia de “Shrek” não é uma alegre história de animação, é o que resultaria se um reality show violasse o Baby Tv num beco escuro em Telheiras.
O meu conselho desta semana é uma peça cinematográfica que cedo se tornou uma obra de arte valiosíssima. A obra tem a duração de duas horas, todas preenchidas por imagens de uma única câmara de segurança, posicionada na parede da secção de sofás de um Ikea no Sul de França. Durante todo o tempo de filme, famílias escolhem divãs, casais de namorados inauguram poltronas e crianças esfarelam o forro de bancos rasteiros com os dedos. Não tem realizador (atribui-se a obra ao técnico da Securitas que instalou a câmara no local) e a cassete com a gravação foi vendida na Sotheby’s de Londres a semana passada por 3, 7 milhões de libras a um magnata russo para ser utilizada como screensaver num pc. Uma obra inóspita, inesperada e genial que nos força um olhar violento e decadente na nossa humanidade consumista e desejosa de um lugar para sentar o nosso rabo adormecido.

As seen on O Indesmentível.

Wednesday, July 07, 2010

Cinco primeiros meses de 2010 foram os mais quentes no planeta desde 1880

ESTUDO RECENTE/GF – Se não está morto nem trabalha na secção de congelados do Pingo Doce, já reparou que está muito calor. Fique sabendo que os cinco primeiros meses de 2010 foram os mais quentes no planeta desde 1880, altura em que o ar condicionado era tão popular como a higiene oral.
As temperaturas combinadas da terra e dos oceanos parecem estar 0,68 graus célsius acima da média de todo o séc. XX, deixando bem claro que se o planeta fosse uma torrada, já estamos a precisar que nos raspem o queimado com uma faca. Onde o planeta parece ter aquecido em maior escala é no Canadá, Estados Unidos, Sibéria e Selecção Francesa de Futebol. Em contraste, as temperaturas atingiram valores mais baixos que o normal na Ásia central, na Europa Ocidental, no sudoeste Americano e na vida sexual do Santana Lopes. O Governo alerta que a temperatura deverá atingir os 42 graus com regularidade durante todo o verão, visto que devido ao fraco combate aos incêndios, Portugal deverá continuar a “arder em lume brando”. No que toca à nossa saúde, e para prevenir problemas físicos derivados do calor, os médicos aconselham que se tenha o Cristiano Ronaldo no Mundial como exemplo, e que se evitem grandes esforços físicos ao ar livre.

As seen on O Indesmentível.

Tuesday, July 06, 2010

Isolated Incident


O Dane Cook está diferente.

Tornou-se uma super estrela que esgotava o Madison Square Garden. Fez super-produções de Hollywood. Namorou estrelas famosas. E depois, tudo começou a esmorecer.

Num espaço de 9 meses, morreram-lhe ambos os pais. O "mojo" que tinha foi morrendo, perdendo o estatuto de mega-estrela, mas o hate mail não. Deixou de fazer filmes. Parou de namorar estrelas de Hollywood porque eram "chatas e vazias". E voltou ao stand-up.

E é aí que se nota, que Dane Cook está diferente.
Está mais calmo, não grita e salta pelo palco como se tivesse 12 anos.
Faz humor político, algo que nunca tinha feito na vida dele.
Fala da própria vida, da morte dos pais ou do hate mail que recebe, ao estilo de confidência íntima de Richard Pryor.

Dane Cook está, finalmente, um adulto que já não fala apenas para "pitas do facebook", é um comediante que já sabe fazer rir trintões e quarentões, sem perder o gosto por histórias de one-night stands ou de pornografia amadora do youporn.com.

"Isolated Incident" é o seu último espectáculo, tem 55 minutos apenas, e mostra que Dane Cook está numa fase importante. Evitando ter o mesmo destino de um daqueles actores jovens de Hollywood que quando crescem perdem a "imagem" que criaram nos espectadores e deixam de trabalhar (Como Macaulay Culkin, por exemplo), Dane Cook está a mudar. Está a crescer.

O espectáculo não é brilhante mas mostra que Dane Cook é realmente um bom artista de stand-up. Com uma linguagem e imagem própria, o comediante que fundio o Rock n' Roll e o humor está a amadurecer.

Se forem fãs de Dane Cook, este espectáculo pode fazer-vos confusão. Ele vai parecer "cansado" e "adulto".
Se não forem, é uma óptima hipótese para começarem a ser.

Monday, July 05, 2010

“Pacote de Austeridade” já é a expressão ordinária mais usada em Portugal

AUSTERA-MOS/GF – Num país em que proliferam as expressões comuns usadas como se fossem ordinárias, a competição pelo primeiro lugar é feroz e a expressão “Pacote de Austeridade” conseguiu agora o lugar cimeiro, destronando o clássico desta época do ano: o “Combate aos Fogos”.
Há quem defenda que a culpa é da crise e há quem defenda que a culpa é da “mente suja e porca” dos portugueses, mas a verdade é que as mulheres portuguesas vão começar a ouvir falar cada vez mais de como o seu “pacote de austeridade” está “aprovadinho aqui pelo FMI”. O Sindicato de Taxistas Javardos (STJ) e o Comité de Trolhas Evasivos (CTE) já fizeram circular a informação e a expressão vai tomar as ruas de assalto. De andaimes, a tascas passando por estádios de futebol, vão começar a desaparecer piropos como “Eu é que te instaurava um PEC nessa economia em degradação”, populares desde Fevereiro deste ano. O linguista Mário Cunha aprova a expressão apesar de ser de “fácil apropriação popular”, muito devido à expressão já conter a palavra “pacote”, o que “facilita a associação javardola”. Mário Cunha alerta ainda para o facto de nos próximos tempos ser possível uma crescente utilização de piropos como “Vê lá se eu não te faço uso da minha Golden Share!” ou “Eu é que fico Vivo com essa Telefónica toda!”.

As seen on O Indesmentível.

Saturday, July 03, 2010

Inimigo Público Tv 9

Já viram as notícias desta semana?
Aqui têm.
Com alguns one-liners do início, sketch em directo da África do Sul e vox-pop no final da minha autoria.
Carregai em play, vá. E há mais no Canal Q.



gui

Thursday, July 01, 2010

Picado vs "Eclipse"


“A Saga Twilight – Ecplise” – …a pornografia dos adolescentes emo

CONTRA PICADO/GF – Como os drogados e os alcoólicos têm recaídas, também a Saga Twilight as tem. Mas no caso deste franchise cinematográfico para “raparigas sem período”, não se dá o nome de “recaída”. O termo técnico a aplicar é “sequela”. “Eclipse” é a terceira parte da história de amor de Bella, uma rapariga que está indecisa entre namorar com um “indivíduo pálido, de ar doente” ou um “indivíduo inchado, com problemas capilares”. Num mundo em que lobisomens e vampiros andam a brincar às claques da super liga, uma rapariga com um ar enfadonho e voz de cólica súbita não consegue escolher com quem ir para a cama. E diga-se, a indecisão da personagem feminina entre os actores é a única motivação narrativa que faz sentido. Eu também demoraria 3 filmes, 543 aparições televisivas e 19876 posters da Bravo a decidir qual dos canastrões me causa maior transtorno.
Nota ao espectador: decidir-se a ir ver este filme é bastante fácil. Se viu os capítulos anteriores e gostou, vá ver este filme mas não se esqueça que inspirar é depois de expirar. Se viu os capítulos anteriores mas não gostou, continue em casa fechado, debaixo da água fria do duche, a lamentar-se por ter perdido o dinheiro nos bilhetes. Se nunca viu nenhum dos filmes, não veja este. Faça como eu e paguem a quem percebe de informática para tentar colocar o nome “Stephenie Meyers” na lista de inimigos da nação americana. Depois de “Crepúsculo” e de “Lua Nova” temos aqui “Eclipse”, aquele que é o degrau mais próximo de uma overdose violenta que os viciados disto alguma vez estarão. Fico a torcer por convulsões e secreções de pus pelas narinas dos espectadores que forem ver isto. Se não neste, pelo menos no próximo filme. Sim, é que ainda há mais um capítulo nesta história. Não deitem fora o garrote.
O meu conselho cinematográfico desta semana não custou milhões a fazer, como esta saga Twilight, mas também tem lobos. Aos 30 anos de idade, Andrei Papolov Nabuschta, um realizador bielorrusso exilado no Congo, desenvolveu, ao mesmo tempo e sem explicação médica, um forte ataque de asma e uma enorme atracção pela história de Rómulo e Rémulo, na criação de Roma. Entre ataques de tosse e de falta de ar, levantou todo o dinheiro que tinha no banco, gastou tudo num bilhete de avião para Itália e durante 2 semanas filmou-se vestido de lobo, isolado numa caverna na Sicília. Morreu dias mais tarde, não da asma, mas de alergia a tagliatelle. Deixou-nos o filme “A Tosse Protege Os Audazes”, o primeiro “snuff movie” a apresentar pessoas ao mesmo tempo vestidas de lobo e com tosse.

As seen on O Indesmentível.