Monday, May 31, 2010

Face à desvalorização do Euro, a UE adopta o Cigarro como unidade monetária

DESTROCA-ME/GF – Com o Euro em queda abrupta nos principais mercados mundiais, a União Europeia encontrou a solução para o comércio em espaço Europeu: fazer como os reclusos e usar cigarros.
Com o preço do tabaco a subir e o valor do Euro a descer, não falta muito para que ambos se cruzem nas tabelas de valores, crescendo a possibilidade da moeda única poder vir a deixar de ser “redonda e ferrugenta” para ser “cilíndrica e tóxica”. “Analisámos várias opções de recurso em reuniões mas só quando estava a ver um episódio de Prison Break é que me lembrei de usarmos cigarros como os prisioneiros fazem” disse Jean-Claude Trichet, Presidente do Banco Central Europeu e fã dos olhos azuis de Michael Scofield. Ao saber-se desta novidade, Márcio Carrasco, arrumador de automóveis na Avenida dos Aliados, que há anos que pede “um cigarrinho” e não “uma moedinha”, foi considerado um visionário e tornado o novo especialista de Economia da RTP. Para os europeus que não fumem, o Banco Central Europeu já comunicou que “Cromos da Caderneta do Mundial” também servirão de unidade de troca.

As seen on O Indesmentível.

“Mancha negra” do atlântico atinge público do último dia de Rock In Rio

FADE TO BLACK/GF – O acidente ambiental que ocorreu numa plataforma petrolífera no centro do atlântico, espalhando crude do Louisiana ao Brasil, atingiu ontem o parque da Bela Vista, deixando todo o público do último dia do Rock In Rio em tons de negro.
“Não sabemos bem o que aconteceu. Num momento está a Miley Cirus em palco e uma data de criançada a correr de um lado para o outro quando de repente, entrou uma maré negra pelas portas e ficou tudo negro.” disse Norberta Gestrudes, uma cabeleireira de Chelas que levou as duas filhas ao Rock In Rio mas não saiu a tempo e ficou presa numa moche de “MotorHead”. A uma velocidade incrível o “negrume” espalhou-se pelo recinto e milhares de pessoas julgaram que o mundo tinha ficado a preto e branco. Obama já se dirigiu oficialmente a Portugal dizendo que “ajudará no que for preciso e conseguir para limpar a maré negra” mas António Freitas do programa “Hypertensão” respondeu “este crude ninguém limpa!” finalizando a resposta com um som gutural a fazer lembrar um portentoso arroto.


As seen on O Indesmentível.

Saturday, May 29, 2010

"Funny. That's the last thing i want us to be."

"Int. Night. House's office

House is sitting down at his desk. Cuddy enters the room and stops at the door.

Cuddy
I hired a replacement. For my PA. She seems great.

House
Good work.

Cuddy
You too. Your pacient is going home tomorrow.

House
He doesn't have a home.

Cuddy slowly starts walking in Houses direction.

Cuddy
You want to grab a bite to eat?

House
So Wilson got to you too.

Cuddy stops walking.

Cuddy
No. This is just me.

House
Lucas?

Cuddy
Working late.

They both pause.

Cuddy
(smiling)
I'm buying.

House
Not that hungry.

Cuddy
(loses the smile)
Okay.

Cuddy turns around and starts walking away. Stops at the door again, turns around.

Cuddy
I just want us to be friends.

House
Funny. That's the last thing i want us to be.

House and Cuddy look at each other for a moment. Cuddy turns around and leaves the room. House rubs his right leg. Looks at the pill bottle on top of his desk. Opens a drawer, takes out a bottle of whiskey and pours some in a cup. He drinks from it.

Fade to black."


Final do episódio nº 20 - "The Choice" - da 6ª série de "House".

Friday, May 28, 2010

Verdade absoluta #79

Descobri o que quero escrito na minha lápide:

"Vão-se embora que estas pessoas querem-se deitar."

(@ my twitter)

Verdade absoluta #78

Os Metrossexuais já não são os homens que se depilam...

... são os que escolhem a roupa para ir ao ginásio.

(@ my twitter)

Thursday, May 27, 2010

"Adopte um Idoso"

Aqui está mais um sketch escrito por mim para "A Última Ceia".

Rui Unas não podia deixar passar uma iniciativa como a "Adopte um Idoso" da Câmara Municipal de Lisboa. E não deixou.

Aviso: nenhum Idoso foi mal tratado na gravação deste sketch.

Picado vs "Prince da Pérsia"


Ontem fui à ante-estreia deste filme no Colombo e por acaso vi o "Rafael Contra" por lá. Impressionante como este gajo odeia tudo o que vê. (E fuma cigarros de enrolar dentro da sala de cinema.) Eu não desgostei do filme assim tanto, agora ele...

”Príncipe Da Pérsia: As Areias Do Tempo” – …muita areia para pouco carrinho de mão

CONTRA PICADO/GF – A sensação que eu tive ao ver este filme foi a mesma de estar a comer uma taça de pregos com ácido à colherada, enquanto dois anões me limpam o umbigo com um berbequim, isto tudo enquanto estou no meio de uma “moche pit” num concerto de João Pedro Pais, no Rock in Rio. Não sei o que me chocou mais. Ver o Jake-juro-que-não-sou-mesmo-gay-Gyllenhaal inchado de esteróides ou o Jake-juro-mesmo-Gyllenhaal a experimentar um penteado à Joaquin Cortéz. É que se ainda fosse só uma das duas, eu aguentava as duas horas de filme sem problema, mas levar com as duas alterações de visual ao mesmo tempo fez-me ter pesadelos a noite toda com um espectáculo de sapateado homossexual, levado a cabo por seguranças de discoteca vestidos de licra. Continua a mania de adaptar jogos de vídeo para cinema, algo que seria um esforço absolutamente inglório se não fosse, a par com o “Salão Erótico de Lisboa”, a única maneira de tirar os nerds portugueses das suas escuras e sombrias tocas. É vê-los pelas salas de cinema pasmados com o filme mas também com outros seres humanos.
Outro jogo que estão a pensar adaptar para cinema é o “Monopólio”, o jogo de tabuleiro que mais famílias já desfez. Se o final do filme for igual a todas as sessões do jogo que eu tive em família, o terceiro acto é uma violenta discussão com o tabuleiro a voar pela sala de forma aerodinâmica. E mais digo, fosse eu a escrever o guião de “Monopólio”, o Madoff continuava na prisão, sem hipóteses de conseguir um cartão “Saia da Prisão”. Outro jogo que vão adaptar a cinema também? O “Cluedo”. Parece que faltavam vídeos de mistérios por resolver nos nossos ecrãs. Os “comités de inquérito parlamentares” não chegavam para uma longa-metragem. Resultado desta adaptação? “Rafael Contra. Sala de Cinema. Ak 47”. Para o desperdício de película em Hollywood ficar completo, só faltava adaptarem outros jogos como “Pac-man”, “Pong” ou o “Snake”, que vinha nos telemóveis nokia 3310. “Prince of Pérsia” é sobre um punhal que faz o tempo andar para trás, o que quer dizer que só puxou intelectualmente por mim quando me imaginei a usá-lo. Nunca teria visto o filme e tinha 2 horas, 5 euros e um estômago limpo de pipocas de volta. Eu ainda sou do tempo em que os filmes da Disney eram bonitas fábulas sobre amor, magia e amizade mas pelos vistos o Walt levou a sua equipa ao ginásio, encheu-os de esteróides e deixou-os correr de um lado para o outro com facas. Já estou a rezar para que tropecem.

As seen on O Indesmentível.

Wednesday, May 26, 2010

40% das pessoas que se lesionam durante uma relação sexual só se apercebe no dia seguinte

ESTUDO RECENTE/GF – Quando o mundo da investigação, dos estudos e dos inquéritos julgou que tinha descoberto tudo o que estava relacionado com sexo, eis que aparece mais um resultado surpreendente – 40% das pessoas que se magoam durante uma relação sexual só têm noção do “estrago” 24 horas depois.
Num estudo em que 50% dos inquiridos admitiu já ter sofrido uma queda durante o acto sexual, não podemos deixar de pensar se estaremos em perigo da próxima vez que nos despirmos. “As pessoas julgam que sexo é só beijinhos e carinhos mas estão enganadas. Já vi pessoas ficarem estropiadas, paraplégicas ou até mesmo tontas depois de coisas tão simples como sexo oral.” disse Dagoberto Cardoso, um instrutor de defesa pessoal sexual. Dagoberto explicou ainda que as principais maleitas sofridas na relação sexual são “distensões, dores nas costas, queimaduras em alcatifas e torcicolos” mas que há também quem tenha sofrido autênticas “relações duradouras com gajas gordinhas” e que “isso é que não se deseja a ninguém, nem a brincar”. Para que o leitor se mantenha alerta, O Indesmentível informa ainda que os locais em que mais acidentes acontecem durante o sexo são o sofá, as escadas, o automóvel, o duche e Telheiras.

As seen on O Indesmentível.

Nunca mais

Eu não me quero apaixonar nunca mais.

Não quero.

Sempre que isso me aconteceu, correu mal. Não serviu para nada.

Só me magoou.

Não quero.

Que isso me aconteça daqui a muitos, muitos anos.

Pode ser?

Pode?

Obrigado.

Monday, May 24, 2010

Final de “Lost” leva milhões de fãs a substituírem vício pela série por drogas duras

HIT ME/GF – Ontem, dia 23 de Maio de 2010, para o comum mortal foi apenas mais um dia chato em que por acaso aconteceram os “Globos de Ouro”, mas para milhões de fãs de “Lost” foi o dia em que passou o último episódio da série – ou como os próprios lhe chamam: “armagedão”.
É então oficial: a série televisiva “Lost” acabou. Para milhões de pessoas em todo o mundo é o fim de um vício agressivo com seis anos de duração. Com centenas de doses de 40 minutos cada, estes drogados não pensavam, falavam ou teorizavam sobre outra coisa, sendo muitas vezes marginalizados pela sociedade. O fim da série veio assim deixar estes “perdidodependentes” a ressacar por mais “flashbacks”, “flashforwards” ou “flash’s da Kate”. Segue-se um longo e duro processo de reabilitação, para curar um vício que para alguns fãs só a cocaína ou a heroína conseguirão colmatar. Outros fãs preferem agora virar-se para outros produtos de entretenimento que tenham a mesma profundidade e confusão narrativa de “Lost”, como as “Comissões de inquérito no Parlamento” ou as entrevistas de Miguel Sousa Tavares no programa “Sinais de Fogo”.

As seen on O Indesmentível.

Mourinho apresenta moção de censura a Deus

YOU’RE OUT/GF – Com mais uma vitória na Liga dos Campeões, na liga Italiana e num embate de “sardinha” que teve com Milito depois do jogo com o Bayern, a omnipotência de Mourinho já começou a incomodar a “gerência”, ou como nós lhe chamamos – “Deus”.
Quando todos julgavam que o passo seguinte na carreira de Mourinho era o Real Madrid, o técnico português surpreendeu toda a gente apresentando uma moção de censura a Deus, criticando as suas capacidades como “líder”, “confidente” e “gestor da natureza”. Quando lhe perguntaram o que estava a correr mal na táctica do Criador, Mourinho atacou dizendo que “toda a gente sabe que não se põe um terramoto na Ásia e um vulcão na Islândia em jogo ao mesmo tempo”. A moção está agora em “cima da mesa” – sendo o termo técnico “nas nuvens” – aguardando-se agora uma resposta rápida, célere e assertiva para que Mourinho saiba depressa que “catástrofes e segredos de Fátima contratar para a próxima época”. Se a moção de censura for aprovada, num futuro bem próximo teremos de começar a dizer “Mourinho nos ajude”, “Mourinho vos proteja” e em situações de stress ou extremos prazer sexual, “Ai, meu Mourinho!”.

As seen on O Indesmentível.

Friday, May 21, 2010

Almanaque de Doenças Excêntricas e Desacreditadas

Há uns tempos fui convidado a fazer "casting" para uma publicação humorística.

A ideia era simples, inventar uma doença estranha e desenvolvê-la clinicamente.
Além de boa, a ideia dava espaço para se aparvalhar com gosto. Foi o que fiz.

Escrevi e desenvolvi uma patologia estranha, assustador e cómica o suficiente e acabei aprovado para o livro.

Livro esse que é lançado hoje, dia 21.
A "Saída de Emergência" e eu temos o prazer de apresentar o "Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas", uma antologia onde se compilam dezenas de doenças que se vocês alguma vez apanharem... é bom que não me telefonem.

Podem ler tudo sobre o livro aqui neste link, mas mais importante ainda, podem sair de casa, ir até à Feira do Livro (ou qualquer outra livraria) e fazer pouco do hipocondríaco que têm dentro de vocês. Ele merece.

Entre outros conceituados "doutores" como Alan Moore (do Watchmen) ou colegas meus do Priorado de Idiotas, o Dr. Guilherme Fonseca apresenta-se ao mundo da Medicina.

Já sou um autor publicado.
Já estou no meio de nomes como Shakespeare, Fernando Pessoa ou Zézé Camarinha.

Thursday, May 20, 2010

Picado vs "Elm Street"


Apercebi-me agora que o Rafael já escreve críticas há mais de um ano.
São 60 críticas em que nenhum, mas mesmo nenhum filme, agradou vagamente ao menino Contra.

Podia ter sido este semana... mas não.

“Pesadelo em Elm Street” – …suores frios na sala de cinema

CONTRA PICADO/GF – A sensação que eu tive ao ver este filme foi a mesma de ter as duas mão entaladas na porta de uma caixa forte, enquanto me depilam o escroto com uma faca de plástico própria para piqueniques e tenho a cabeça dentro de um saco de plástico do Pingo Doce, isto tudo enquanto os “Black Eyed Peas” me repetem, ad eternum, qual é o “sentimento” deles. Este filme tem uma ironia engraçada. Para quem não sabe, o vilão é um seria-killer que mata adolescentes excitadas durante o sono. Ou seja, se eles querem ficar vivos, têm de se manter acordados. A ironia vem do facto de eu, ao estar sentado na sala de cinema, adormecer constantemente e ser isso que me salva a sanidade mental. Era acordado que o filme me ia assassinando o “gosto” aos bocadinhos. Ouçam, os americanos não precisam de “seria-killers do subconsciente” para ficarem acordados durante a noite. Têm o www.youporn.com e os comprimidos para a hiperactividade que os pais lhes dão, para cumprir esse efeito.
E será mesmo um “queimado de lâminas nos dedos” a melhor solução para assustar um miúdo hoje em dia? Se em sonhos me aparecesse o Sócrates, o meu catequista ou o brasileiro das promoções do programa da Júlia Pinheiro eu fugia bem mais depressa do que com este “homem churrasco”. Para “queimado” já nos basta o “Ricardo Rodrigues”, que nas mãos não têm lâminas, tinha gravadores e se tudo correr bem, vai ter algemas. E já que falamos em “tentativas de membros do PS em dominar a comunicação social”, este filme também é mais do mesmo. Outro remake. Outro filme de terror. Outros 5 euros gastos a verem-se seios saltitantes, a pupularem por corredores fora enquanto fogem de vilões a passo lento. Hollywood parece cada vez mais aquele nosso amigo que, ao arrumar o armário, descobre um casaco horrível que costumava usar, e decide que até é capaz de resultar outra vez. Não resulta. Só lhe diminui a quantidade de amigos e de possibilidades de ter relações sexuais no futuro a curto/médio prazo. E sim, o filme tem 95 minutos mas ao menos vão morrendo pessoas. E quando são americanos portadores de páginas de facebook, isso é agradável de se ver. Desculpem-me, mas tenho um lado sádico que também gosta de miminhos. Melhor, só se ao invés de irem morrendo um a um, morressem todos ao mesmo tempo. O resultado era o mesmo e o filme passava a uma curta de 12 minutos. Seria exactamente como a vida sexual do vosso amigo do casaco: mais curto mas deprimente à mesma.

As seen on O Indesmentível.

Wednesday, May 19, 2010

Estudo prova que as mulheres bonitas fazem mal à saúde dos homens


ESTUDO RECENTE/GF – Recentemente, um grupo de cientistas resolveu fechar-se numa sala só com mulheres bonitas semi-despidas e chamar à ocasião “experiência” – ao invés de “despedida de solteiro” como os outros homens – chegando à brilhante conclusão que as mulheres bonitas fazem mal à saúde dos homens.
Depois de horas a conversar, olhar e suspirar para cima de belíssimas mulheres os cientistas entenderam que o estado de saúde dos homens se agrava progressivamente quanto maior o tempo de exposição. “Pensem nas mulheres bonitas como o sol, ok? Não só gastamos dinheiro antes e depois em protecção para levarmos com ele, como muitos de nós acabamos invariavelmente escaldados.” disse o coordenador do estudo enquanto pagava mais uma bebida a uma loira de um metro e noventa profissional a fazer beicinho. Os problemas começam por ser “cardíacos”, no início do contacto, depois evoluem para “monetários” e acabam por ser “psiquiátricos”, no final das relações. A Direcção Geral de Saúde está já a ponderar o extermínio do máximo de cabeleireiros e depiladoras possível para prevenir mortes este verão. Este estudo vem ainda justificar o porquê do afastamento da professora “Playboy”, Bruna Real, da sua posição como professora, provando que o vereador da câmara de Mirandela não é “conservador”, estava só a zelar pela saúde dos alunos.

As seen on O Indesmentível.

Monday, May 17, 2010

Professora que posou nua para a Playboy recebe milhares de pedidos para explicações privadas

BACK TO SCHOOL/GF – Depois das fotografias, do despedimento e da polémica instalada em Mirandela, a professora de 27 anos que posou nua para a revista Playboy recebe agora milhares de pedidos para explicações privadas, não de crianças mas dos respectivos pais.
Enquanto a Câmara Municipal de Mirandela pediu uma semana para avaliar o caso da professora – e O Indesmentível sabe que “avaliar o caso” é sinónimo de “ler e reler a revista em pormenor” – Bruna Real tem avaliado o seu futuro, com e sem roupa. Entretanto, milhares de homens parecem agora estar interessados em regressar aos estudos, procurando complementar a parca educação que insistem ter. “A sério, sou mesmo muito burro. Eu nem sei como é que me passaram da 4ª classe! Eu devia estar a pintar com os dedos, mesmo!”, disse Cláudio Correia, um Piloto da TAP que jura a pés juntos que não se lembra de como se lê. Quando perguntaram ao grupo de homens que pediu explicações se sabiam a disciplina que a professora leccionava, os presentes entreolharam-se, encolheram os ombros e disseram “nós preferíamos que fosse Educação Física mas pode ser Matemática, sem problema.”

As seen on O Indesmentível.

Saturday, May 15, 2010

23


Cheguei oficialmente ao penúltimo número do Lost.

Parabéns a mim.

Friday, May 14, 2010

"Que idade tenho eu?"

Há um ano e picos escrevia uma crónica humorística num site de cinema.
Foram 24 contos que me deram um enorme prazer a escrever. E que, uns mais que outros, sairam bem porreiros.

Hoje relembro um que para mim só pode ser lido (e fazer sentido) na noite de hoje.

Apreciem a técnica de engate que só resulta uma vez por ano.

"- “Bem” – disse Miguel aproximando-se do amigo – “então fazemos assim”...
- “Afasta-te de mim! Ainda parecemos dois gays, pá.”
- “Mas tu deixas de ser homofóbico e parvo? Não parecemos nada gays, somos dois homens a falar de uma forma confidente num bar. Cala-te e ouve-me.”
Bruno encolheu os ombros e deixou Miguel falar.
- “Escolhes uma rapariga que aqui esteja. Qualquer uma. Da mais feia e asquerosa à mais… tu percebeste. Se eu ficar com o número dela à primeira tentativa pagas-me a totalidade do filme. Fazemos assim?”
Bruno passou as mãos pela cara. – “Isso parece-me estúpido e desesperado. Queres assim tanto arriscar o orçamento do teu filme nos teus dotes de sedução?”
Miguel sorriu – “Sabes bem que não sou de engates mas quando chamas ao meu trabalho como realizador algo indeciso, incoerente e medricas, acho que tenho de mostrar a quem me nega dinheiro que tenho coragem, decisão e objectividade. Não?”
- “Pronto.” – suspirou Bruno – “Se é isso que queres vai lá ao ataque.”
- “Com qual queres que vá falar, senhor produtor?”
- “Pode ser aquela morena. Mostra-lhe a tua objectividade, senhor realizador…”
Miguel ajeitou a camisa e deu três passos até ao balcão do bar. A morena nem notou a presença deste, continuou a beber a sua bebida calada e discreta.
- “Desculpe, tem horas que me diga?” – perguntou Miguel, inseguro pela frase e seguro pelo péssimo começo.
- “São 11 e 57.” – e desviou o olhar.
Não era assim que Miguel ia chegar lá. Olhou em redor do bar e teve então uma ideia. Na altura pareceu-lhe genial, dias depois percebeu que tinha sido só uma volta numa roleta russa. Ficou uns segundos calado e resolveu arriscar. “Desculpe estar a maçá-la mas preciso de uma parceira para fazer um jogo comigo”.
A morena olhou para Miguel meio de lado, desconfiada mais interessada - “Diga…”
- “Fazemos assim, eu faço-lhe duas vezes a mesma pergunta. Se falhar a resposta das duas vezes, eu fico com o seu número de telefone.”
A morena olhou estupefacta e divertida para Miguel – “Duas vezes a mesma pergunta? E eu posso saber a resposta à pergunta antes de ma perguntar a segunda vez?”
- “Claro…” disse Miguel entusiasmado com o possível sucesso da sua bala.
- “Então força, pergunte-ma pela primeira vez…” – A morena já estava com um olhar desafiador. Estava discretamente interessada no resultado daquele jogo.
- “Que idade tenho eu?”
A morena soltou o peso dos ombros. “Só isso? Pensei que seria algo mais difícil… Sei lá… 26.”
Miguel sorriu e respondeu “Errado, tenho 29. Mas deixe-me agradecer-lhe o elogio. 26? Boa. Bem dizia a minha mãe que vale a pena pôr creme solar”.
A morena soltou um riso tímido. “Agradeça à sua mãe este elogio. E então, não me vai fazer a pergunta segunda vez?”
- “Vou. Mas de certeza que não me quer elogiar-me outra vez?”
- “Não, quero responder e ganhar”. Disse a morena de forma convicta e já assumidamente divertida.
- “Certo… então, diga-me, jovem morena e divertida que bebe a sua bebida descontraída neste bar enquanto a perturbam com jogos… que idade tenho eu?”
A morena encheu o peito e disparou – “29 anos, senhor que gosta de jogos em que evidentemente devia repensar as regras.”
Miguel estava a ficar deliciado com este jogo. Sem pensar duas vezes falou – “Antes de lhe dizer se está certa ou errada, pode dizer-me novamente que horas são?”
A morena ficou um pouco confusa – “São meia noite e um, porquê?”
- “Porquê?” – perguntou Miguel, para depois responder a si próprio – “Porque a sua resposta está errada”. E com esta frase saboreou o olhar perdido da morena a quem fazia um jogo. ”Tenho 30 anos. Há mais ou menos um minuto segundo o seu relógio”.
A morena montou um sorriso diferente na cara. Um misto de “apanhaste-me” com uma pitada de insultos recalcados.
Miguel estendeu apenas o BI e deixou-a conferir por si própria.
- “Boa… belo jogo, senhor aniversariante. Tome o meu número então. Parece que o merece.” E escreveu o número num guardanapo. Levantou os olhos e piscou o olho esquerdo a Miguel. “Parabéns. Que conte muitos.”
Miguel dobrou o guardanapo cuidadosamente e afastou-se do balcão dando dois passos para trás. “Obrigado.” Quando chegou perto de Bruno falar era desnecessário mas Miguel quis acentuar a sua vitória. “Então, quando me transferes o dinheiro para começar a filmar?”
- “Porra… incrível. Uma visita de 15 minutos a um bar e passo de gay a pobre.”
Miguel riu-se da frase do amigo e rematou “Não me vais dar os parabéns?”
- “Para quê? Julgas que és o primeiro a sacar um número num bar…?”
Miguel não respondeu. Pôs a mão no bolso do guardanapo e saiu do bar com o seu amigo."

Thursday, May 13, 2010

Picado vs "Robin Hood"


“Robin Hood” – …roubar ao espectador para dar ao produtor

CONTRA PICADO/GF – A sensação que eu tive ao ver este filme foi a mesma de estar a ser operado ao menisco, a frio, por doentes de Parkinson, enquanto estou deitado de costas no centro do Marquês, a ser atropelado pela camioneta da equipa, que está bêbada, rodeado por milhares de pessoas a gritar pelo Benfica à minha volta. Não entendo como uma personagem como o “Robin Hood” é tão popular entre americanos. A nação mais capitalista do planeta tem dezenas de versões diferentes do “Estaline dos Collants” e não se parece importar. Como é que “roubar aos ricos para dar aos pobres” ainda não foi alterado num dos filmes para “roubar aos desatentos para dar a programas de televisão sobre moda” é que ainda não percebi. E se o ano passado foi o filme de animação “Up” que abriu Cannes, este ano deixaram-se os balões de lado e foram-se buscar as flechas. “Robin Hood” é o filme de abertura de um festival mais vendido que o corpo das senhoras que se vêem à noite pelo técnico.
Num festival em que Jean-Luc Godard tem nova obra, Ridley-lembram-se-que-fui-eu-que-fiz-o-Alien-Scott deve ter pago mais pelo bilhete. Num festival em que o brilhante e apaixonante documentarista Kiarostami tem nova película, Ridley-e-que-fui-eu-que-fiz-o-Blade-Runner-lembram-se-Scott deve-se ter posto de joelhos mais depressa. Ter estes dois nomes nas estreias e escolher Ridley Scott para abrir o festival é como dar uma festa em casa aos “Cahiers du Cinema” e ter o “Batatinha” a abrir a porta aos convidados. “Robin Hood” não é mais que “O Gladiador” uns séculos mais tarde. Troquem os romanos pelos ingleses, a arena por uma floresta e a cara de cu de Russell Crowe pela cara de cu de Russell Crowe, e só têm de mudar o nome à coisa. E não percebo a mania de, no poster do filme, venderem-se os actores pelos Óscares que ganharam. Que importância tem o prémio para este desempenho? Tem tanta relevância como o Queiroz, agora na convocatória dos jogadores para a selecção, ir dizendo que convoca o Cristiano Ronaldo porque “já foi para a cama com a Nereida” e deixa de fora o César Peixoto porque “a Diana Chaves não está assim tão boa nos dias que correm”.

As seen on O Indesmentível.

Wednesday, May 12, 2010

Mulheres portuguesas excitam-se mais que os homens com filmes pornográficos

ESTUDO RECENTE/GF – Foi publicado esta semana um estudo que revela que as mulheres portuguesas se excitam mais facilmente com sexo explícito em filmes que os homens portugueses, deixando os homens, as mulheres e as actrizes de boca aberta.
O estudo, levado a cabo pela Unidade Laboratorial de Investigação em Sexualidade Humana (Conhecidos como “Sex Lab” ou “Tarados Do Caraças”) divulgou o resultado do estudo a nível europeu e o resultado português foi o oposto do resto da Europa. Aparentemente os homens portugueses não são como os seus congéneres europeus e não se estimulam mais que as suas parceiras com pornografia. Pelos vistos, a mulher portuguesa gosta mais de pornografia mas não fica claro no estudo se o homem português gosta mais de “Anatomia de Grey”. Carlos Ávila, um português condutor de um táxi e orgulhoso portador de pelugem no peito disse “Não é que sejamos maricas, hein? Nós não vemos é qualquer porcaria que ande pela net. Queremos sexo explícito, sim, mas coisas com qualidade!”. Revelado o resultado deste estudo, lojas como a Mango, a Berska e a Stradivarius já desenvolveram uma técnica de combate à crise que consiste em ter espectáculos de sexo ao vivo nas suas lojas, entre as prateleiras dos saldos e das novidades. Por sua vez, os homens portugueses só vão agora começar a entender o que as parceiras querem quando dizem “Amor, hoje não me apetece sair. Não podemos ficar por casa a ver um filmezinho?”.

As seen on O Indesmentível.

Monday, May 10, 2010

Ser Benfiquista

Acho que hoje é o dia perfeito para relembrar uma crónica que escrevi no dia 17 de Abril de 2008.

Um texto sobre o prazer de ser benfiquista, escrito numa altura em que não era fácil ser benfiquista. Sim, porque nas alturas más também se o é.

Espero que gostem.

"Sim, sou benfiquista. E é sobre essa “condição” que me apetece falar hoje.

Não foi à toa que durante o “regime”, essa época áurea de criatividade e inovação, existiam 3 F’s importantes e vitais. O primeiro F era de “Fátima”, espelhava a nossa ligação com a Igreja. A relação entre padres e congregações, especialmente crianças. Foi produtiva e educativa, sendo que se fomentava veemente tanto troca de conhecimentos como troca de fluidos corporais. Respeite-se a história e as vontades do clero. O segundo “F” vem de “Fado”. Estilo musical que se dizia característico dos portugueses. Faz sentido. O luto e a tristeza tinham de comandar um povo que não podia contar uma piada. Compreendam que faltavam ainda alguns anos para termos uma Carolina Salgado ou um Cláudio Ramos. O último “F” vem de “Futebol”. Este último ainda hoje nos acompanha e move, demonstrando que Salazar não era parvo nenhum. Até ficar cansado e decidir sentar-se, claro.

O futebol é-nos importante em Portugal como em poucos países o é para o seu povo. Nós vivemos futebol. Conversamos futebol. Choramos futebol. Até suamos futebol. Não porque joguemos nós próprios mas porque gritar com o Chalana é cansativo. É esta emoção que nos move, que nos seduz, que nos apaixona. O futebol é no fundo isso mesmo, uma paixão. Os treinadores são nossos pais. Os dirigentes são nossos patrões. Os jogadores do nosso clube são nossos irmãos. As mulheres dos jogadores nossas mulheres! Vá lá, é pelo bem da enumeração!

O benfiquismo é, no fundo, uma condição porque “sofremos” dele. Não podemos “optar” usá-lo. Não é uma camisola. É um herpes ou uma borbulha. Não é uma namorada. É uma mãe. Mas não se enganem, é um herpes que eu adoro carregar. Não estou triste de ser benfiquista. Estou orgulhoso e repleto de cremes e loções. Gosto de ser do Benfica mesmo quando levamos na (censurado) ou nos (censuradíssimo). Ser do Benfica é isso mesmo! É sofrer. É perder. É adorar contratações megalómanas de verão. É amar e respeitar as velhas guardas. É confiar sempre na equipa no início da época. É ter sempre a certeza de que vamos ser campeões! É ser gozado nas goleadas…

Ser do Benfica é um prazer sem igual. E estão a ler isto do teclado de alguém que não sabe nada de futebol. Não sei quem foi o melhor marcador do Campeonato em 1967. Nem sei quem é o treinador do Real Madrid neste momento. Não sei quem foi o defesa centro do Sporting ontem à noite! Sim, tenho testículos. Sei que sou do Benfica e que isso me faz feliz. Faz-me feliz porque sou realista. Acho que isso convém ser aos benfiquistas. Mesmo que seja só um bocadinho. Já que temos um problema de pele na genitália, vamos saber reconhecê-lo.

O adepto do Benfica tem duas enormes características que o acompanham sempre e que sem elas não seria “Benfiquista”. Os engraçadinhos vão dizer “Barriga de cerveja” e “Uma mulher com olhos negros”. Não é que estejam enganados mas calem-se lá para eu acabar de escrever, se faz favor. O Benfiquista é como uma criança. É infantil e sonhador. É fácil então perceber o bem que faz ser benfiquista. Solta a criança que há em nós, com ou sem catequese na altura do regime. Mas é sermos crianças também por sermos “anti-formalidade”. Um Benfiquista detesta tudo o que é “formal”. A conversa “formal”, a etiqueta “formal”, a postura “formal”. É uma característica portuguesa que nós sabemos levar a todos os cantos do mundo, de tasca em tasca até à vitória final. Detestamos distâncias e friezas. Queremos proximidade. Seja num abraço quando marcamos golo, seja num murro a um Portista num parque de estacionamento. É um calor humano que sabemos cultivar e hiper-activar como crianças que somos. A última característica comum a todos nós é que somos detestados por todos os outros clubes. Não é difícil perceber isto. Ouçam o que cantam os Portistas quando ganham um jogo qualquer e constatem a importância freudiana que temos para eles. Pode ser só uma ideia minha mas eu acho que no fundo o Futebol Clube do Porto queria era ir para a cama com o Sport Lisboa e Benfica, levou foi uma gigantesca nega.

Portanto colegas leitores e adeptos de futebol, eu sou Benfiquista e digo-o até nas piores alturas. Se virem o meu clube a levar 3 de um clube “menor” não estiquem o indicador e esbocem um sorriso. Se virem o meu clube a ter uma péssima segunda parte depois de uma primeira de luxo, não guinchem em jeito de catarse. Não comentem em tom jocoso. Não gozem. Não servirá de nada. De absolutamente nada. Ser Benfiquista é ser assim mesmo. É ser feliz com os nossos problemas. É ser "doente" por futebol. É saber relaxar e respirar fundo, aceitando a nossa condição. É saber que se a metáfora do “herpes” continuar, temos de ir ao médico rapidamente.

Guilherme Fonseca"

Se chegaram até aqui, relembro que tenho mais uma catrafezada de textos online, aqui.

Obrigado, Feira do Livro


Ando deliciado com isto.

Mistura três das minhas coisas preferidas: Zombies, BD e zombies.

A BD chama-se "Walking Dead" e está-me a encher as medidas.

Obrigado, Feira do Livro.

Nuvem de cinzas já é apelidada de "Santana Lopes dos ares"

A nuvem de cinzas vulcânicas voltou esta semana a espalhar-se pelo espaço aéreo Europeu cancelando voos, reuniões e lançamentos de papagaios de papel.
Quando ficou claro que a nuvem “já começa a chatear” a comparação óbvia teve de ser feita. A nuvem provocada pelo vulcão islandês, que insiste em reaparecer mesmo quando ninguém a quer ver, já foi apelidada pelos aeroportos internacionais de “Santana Lopes dos ares”. Para aqueles que duvidem da comparação, os pontos são evidentes: insiste em voltar sem ninguém a chamar, atrapalha a vida a toda a gente e o Sporting está num estado lastimável. Mas as comparações políticas não se ficaram por aqui. Manuel Alegre já é conhecido como o “Tsunami da Presidência” e Rui Pedro Soares como o “Arrastão da Comunicação Social”.

Suspiro de alívio conjunto dos Benfiquistas afasta nuvem de cinzas da Europa

UFA!/GF – A vitória do Sport Lisboa e Benfica sobre o Rio Ave, depois de ter estado empatado durante vários minutos, originou nos 6 milhões de adeptos um suspiro de alívio em uníssono que está a movimentar a nuvem de cinza.
A conquista do 32º campeonato levou a uma expiração conjunta de milhões de pessoas em Portugal que provocou uma onda de dióxido de carbono expirado de tal força, que moveu a nuvem de cinzas para fora da Europa. Técnicos especializados, munidos de anemómetros mediram a velocidade da massa de ar e registaram um resultado de 165 nós (310 km/hora ou 70 Usain Bolts/100 metros). A Ilha da Madeira, que infelizmente se encontra na direcção dos festejos, sofreu intensos ventos durante largos minutos, que só cessaram quando os Benfiquistas pararam de gritar para entrar nos carros, deslocarem-se até ao Marquês e entupirem o trânsito da capital. A nuvem de fumo encontra-se agora a dirigir-se na direcção dos Estados Unidos da América a uma velocidade cruzeiro. O governo Americano já reagiu à aproximação da nuvem num comunicado de Barack Obama que deixa clara a vontade do presidente Americano em arranjar cartão de sócio de Belenenses porque “esses ao menos não festejam nada.”

As seen on O Indesmentível.

Thursday, May 06, 2010

Picado vs Butler/Aniston


“Ex-Mulher Procura-se” – …filme medíocre encontra-se

CONTRA PICADO/GF – A sensação que eu tive ao ver este filme foi a mesma de estar na festa de aniversário do Indesmentível, com uma diarreia aguda a atacar de 30 em 30 segundos, enquanto ouço o Francis e a Clarinha a falarem estridentemente do Benfica, o Biltre Farfalho me vem falar da capacidade de contorcionismo das adolescentes no Quénia, o Sebastião B. Pessoa totalmente bêbado me diz que o “Iron Man 2” é um “belo filme” e a Luisinha me diz que tem uma amiga que me quer conhecer mas que “tenho de dar um jeito ao cabelo primeiro”. Fazer parte da equipa deste jornal custa quase tanto como suportar os 110 minutos de “Ex Mulher Precisa-se”. E as semelhanças são notórias. Em ambos há uma parte obrigada, uma parte chata e um par de algemas. Mas no caso das algemas, o Biltre Farfalho disse que as ia devolver. A história disto é simples. Gerard-barriga-de-cerveja-é-sexy-Butler é Polícia e foi casado em tempos com Jennifer-não-pareço-de-plástico?-Aniston, que é jornalista. Algum tempo depois de se divorciarem, Butler recebe ordens para apreender a sua ex-mulher, que anda a fugir da Polícia.
Ninguém me tira da cabeça que a narrativa deste filme é uma metáfora para as rodagens dos filmes de Hollywood: actores que já se comeram em tempos a ficarem obrigados a conviverem em personagem durante meses seguidos. Ou seja, a relação destas personagens é exactamente igual à de todos os casais do mundo do cinema, mas com mais “comédia” e menos “acção”. Não se querem aturar mas os contractos dizem que têm de se ver, e quem sabe, tocar. Uma rodagem em Hollywood é como uma lap-dance. É caro, sujo, porco, degradante, não pode haver intimidade e é provável que hajam doenças à mesma. Se vale a pena ver “Ex Mulher Precisa-se”? Fique sabendo que é exactamente como um traque quando se está mal do estômago: é um alívio no momento mas é exactamente igual aos outros todos.
Uma nota final para o tradutor do título. De “The Bounty Hunter” passou para “Ex-Mulher Procura-se”, o que demonstra que há tanto talento na tradução como na interpretação. Sr. Tradutor, estava a tentar comunicar com o mundo através do seu trabalho? Precisa de entrar em contacto com alguém que lhe deu uma tampa no passado? É que não se “procura” ex-mulher nenhuma. Aliás, o filme praticamente começa com o ex-marido a prender a ex-mulher. A única procura que devia haver aqui era de um dicionário Inglês-Português. Ou da sobriedade.

As seen on O Indesmentível.

Wednesday, May 05, 2010

44,3% dos portugueses vão às compras de duas em duas semanas

ESTUDO RECENTE/GF – Um estudo revelou esta semana que 44,3% dos portugueses vão quinzenalmente às compras, apesar de só receberem mensalmente, de contraírem dividas diariamente e de tentarem fugir do país anualmente.
Apesar do país sofrer da condição a que o povo chama de “chatice”, os analistas financeiros chamam de “crise” e que o governo chama de “pá, coiso…”, os portugueses já começaram a gastar o seu dinheiro apenas em bens de primeira necessidade, como pão, água e plasmas HD. Mesmo assim, no meio de tanto gasto, há instituições e pessoas que gostam de fazer as mesmas compras regularmente. Enquanto que o português comum vai ao Mini-Preço abastecer a dispensa, o Benfica não passa muito tempo sem comprar um guarda-redes; O Sócrates sem comprar um meio de transporte; e a Inês de Medeiros não é esquisita com o que compra, deste que seja no estrangeiro. Vendo o plafond da Grécia, o que resta ao portugueses fazer é rezar para que a União Europeia nos compre também a nós, num esquema de “pague um, leve dois”.

As seen on O Indesmentível.

Monday, May 03, 2010

Milhões de Sportinguistas e Portistas experimentam uma semana como comediantes

THE JOKE’S ON YOU/GF – Com a festa do campeonato adiada, ou mesmo impossibilitada, pelo menos por uma semana, os adeptos do Benfica vêem agora os Portistas e os Sportinguistas iniciarem uma carreira na comédia.
Com muito pouco de sobra para fazer desportivamente, os grandes clubes que ainda não batalham pelo campeonato viram-se agora para o humor. Anedotas, graçolas e piadas de todo o género são testadas com a nação benfiquista como público. “É uma espécie de stand-up comedy espontânea” disseram os benfiquistas à saída do estádio do Dragão, enquanto se desviavam de pedras, petardos e piadolas com a “reserva do marquês”. Desde o facebook, ao e-mail, passando por telefonemas e sms’s, milhões de Sportinguistas e Portistas testam material fresco para futuros espectáculos. Adeptos leoninos já comentaram: “quem sabe o que podemos fazer com este material humorístico. Temos sempre o Mundial. Pelo que se vê, Portugal tem tantas chances de ganhar o Mundial como o Rui Santos tem de fazer um escadeado”. O Indesmentível aconselhou o Sportinguista que disse esta, a apontá-la antes que se esquecesse.

As seen on O Indesmentível.

Expressão “Carrega Benfica” já é mais usada que o clássico “Vai-se andando”

‘TÁ FRESCOTE/GF – Na constante evolução da língua portuguesa há expressões e trejeitos que se vão perdendo – como “desculpe” ou “com licença” – e outros que vão ganhando o seu espaço – como “Carrega Benfica” ou “É a crise”.
A Comissão Portuguesa para as Expressões Sintomáticas (CPES) tem vindo a prestar um serviço público à nação contabilizando, coleccionando e tabelando as expressões mais usadas entre nós. Depois dos tempos áureos do “Faz-se o que se pode” nos anos noventa ou do “É a vida” nos anos 00, a nova década tem um novo concorrente a subir nas tabelas bem depressa. Com centenas de utilizações diárias em redes sociais e conversas coloquiais, a expressão “Carrega Benfica” já tem lugar no panteão dos “chavões” ao lado de clássicos como “Se eu soubesse o que sei hoje” e “está frescote, está”. A expressão ganhou lugar de destaque quando ultrapassou o grande sucesso da linguística portuguesa que é o “Vai-se andando”, usado diariamente por milhares de pensionistas e/ou reformados. Mais atrás na classificação estão ainda célebres frases como “Só querem é poleiro” ou o famosíssimo “o que tu queres, sei eu”.

Saturday, May 01, 2010

Stand-Up na Maria

Hoje à noite há comédia no Atelier MariaLisboa, no Chiado.

A Bang Produções organizou uma noite com Paulo Oliveira, Bruno Gomes, Joana Gama e eu.


Começa com actuação e no final terá tertúlia.

O que quer isso dizer? Que se forem assistir, podem perguntar o que quiserem aos comediantes em palco.


Eu juro que respondo a tudo.

Com ou sem a verdade.


Venham.